← voltar

renatovcortereal@hotmail.com

O uso das redes sociais

As redes sociais são os locais onde o nosso público passa mais tempo ao longo do dia, e isto quer dizer que a empresa que está na rede social, está próxima do seu público. Mas nem que fosse apenas para fazer publicidade paga, isso já justificaria a presença da empresa, porque poucos lugares são tão baratos para anunciar, e muito menos com a vantagem de se poder segmentar o público e medir os efeitos das campanhas com precisão e a vários níveis.

Relações sociais vs relações comerciais

Imaginemo-nos num casamento ou num jantar de colegas, uns mais íntimos, outros menos. Seria de bom senso levar algo para vender, incomodando as pessoas com detalhes informações sobre o nosso negócio?

Se, no meio de uns quantos posts sobre sentimentos e sensações vividas, nós aparecemos a dizer «vejam só estas peças que estou a vender.», vamos parecer insensíveis ou insensatos; vamos parecer pessoas que só pensam em dinheiro. E isto, na verdade, é pior do que não fazer nada.

Intaragir com o público

Anunciar é sempre bom, mas melhor é tornarmo-nos reconhecidos como uma autoridade no nosso ramo. Para isso há que começar por fazer posicionamento. Aparecer, e aparecer disciplinadamente, com a postura certa e sempre com algo de útil e interessante para dizer. O que temos para dar pode estar mais ou menos relacionado com o nosso ramo de atuação profissional, mas em qualquer caso é dito num tom informal e pessoal.

Ouvir, participar, apresentar conteúdo atraente e quase sempre relacionado com o nosso ramo, é «só» isto que temos que fazer. E isto não podia opor-se mais á postura absurda de que falei no parágrafo anterior.

Marketing de Conteúdo

Vamos considerar um Consultor Imobiliário que todos os dias publica posts com informações úteis sobre o estado do mercado imobiliário, sobre decoração e bricolage, sobre poupanças no arrendamento e no IMI, sobre cuidados a ter na compra de uma casa e direitos dos proprietários, sobre casas ecológicas, casas de palha, as casas no Egipto Antigo, casas móveis em terrenos agrícolas, e muitas outras coisas mais ou menos relacionadas com o seu ramo de negócio, como por exemplo dizer como é viver num barco, como tem sido a imigração para Portugal e por aí fora.

Este Consultor é aquela pessoa que revela diariamente um bom conhecimento e um entusiasmo inesgotável por tudo aquilo que se relaciona com o seu ramo. E apesar disso, é alguém que ouve os outros, que lê o que eles publicam porque os tem em consideração.

Marketing é, precisamente, um processo social. Um processo que visa criar valor e construir relacionamentos com base em trocas, e as redes sociais são, por excelência, o local indicado para interagir com os outros. E permitem-nos fazê-lo com uma facilidade bem maior do que no mundo real, onde há barreiras de timidez e afins. Aqui é fácil «meter conversa» com outro profissional do ramo, por exemplo, e estabelecer uma ligação com ele a partir daí.

As redes sociais são um terreno muito fértil para o Marketing de Conteúdo deixar as suas sementes, até pela amplificação que se consegue, graças às partilhas.

Linguagem

A melhor rede social é aquela onde estão os nossos clientes. No facebook, o público que mais cresce tem idade superior a 45 anos, no Instagram, predominam os jovens... A própria forma de comunicar em cada rede deve ser adequada às características da mesma mas, sem exceção, a linguagem deve ser informal em qualquer rede; não agir nunca como um vendedor mas ir criando uma relação de parceria num estilo sempre pessoal.

A comunicação, em qualquer rede social, tem que ser criativa e envolvente. Não é fácil captar a atenção, mas há sempre quem o faça. Temos que ser continuamente autocríticos até conseguirmos ser uma dessas pessoas, no nosso estilo próprio e único..

O humor é sempre bem-vindo. Há poucos anos raramente era usado em publicidade televisiva, por exemplo, e hoje é usado numa grande parte dos anúncios.

Periodicidade

Estudiosos do fenómeno das redes sociais afirmam que o fator de sucesso mais importante é o compromisso. Verificou-se que existe correlação positiva entre o número de vezes que as empresas utilizam as redes sociais e o número de oportunidades de negócio que surgem com base em contactos feitos na rede. O compromisso com uma presença diária é a atitude correta, porque não ir é quase como deixar de existir, por esse período de tempo em que não se vai.

Word-of-Mouth

O Marketing Digital, desde a existência das redes sociais, caracteriza-se muito pela aproximação ao consumidor e pela criação de laços de relacionamento entre empresas e consumidores. Uma empresa ou qualquer negócio que vire costas a esta realidade tem, obviamente, tudo a perder.

O passa palavra é uma forma de promoção genuína muitíssimo credível.   Dizem as estatísticas que, quando um cliente vai a um restaurante e gosta, em média vai contar a um amigo seu mas, quando não gosta, conta a seis amigos.   Ou seja, dizer bem é pouco natural, e quando alguém o faz é porque houve mesmo uma satisfação significativa, e as pessoas sabem disso.

Ora, esta forma de Marketing, o Word-of-Mouth, considerada das mais eficazes, desde sempre, é muito ampliada nos social media, e por isso há e haverá cada vez menos empresas a encararem as redes sociais como uma forma de desenvolver notoriedade, apenas , ou de melhorar a imagem da marca e ter reputação, apenas.   Cada vez mais as redes sociais deixarão de ser vistas pelas empresas como uma montra ou um palco, um sítio onde elas aparecm para falar de promoções e coisas do género.

Em oposição ao "push marketing", é de um marketing de relacionamento que necessitamos.   Uma estratégia de marketing nas redes sociais não pode ser baseada em mensagens promocionais, mas sim na criação de laços de relacionamento e confiança.   E essa sim, é a sua base. Depois então, claro está, passamos à fase da divulgação, onde a delicadeza, o timing e o sentido de oportunidade são fundamentais.   Isto, aliás, encaixa naquilo que abordo em web analytics.

O que há a fazer é criar espaços de conversação em que o público venha a emitir opiniões favoráveis sobre os produtos/serviços de uma marca. E para medir o impacto das ações nas redes sociais devemos analisar isso mesmo: o comportamento humano, a atividade, a participação e as relações que o público desenvolve connosco.

Anúncios pagos

Como já referi, não ser intrusivo, não ser inconveniente, são dois princípios básicos para o vendedor quando este está na rede social. Mas há uma forma de anunciarmos os nossos produtos ou serviços a quem realmente nos quer ouvir, que é pagando anúncios.

Nas plataformas digitais nós podemos escolher anunciar apenas para quem está na nossa lista de emails, ou apenas para quem tem um perfil semelhante a essas pessoas que já são nossos clientes e estão na nossa lista de contactos, e por aí fora, sempre sgmentando para aquilo que acreditamos ser o nosso potencial cliente, e por isso é fácil captar tráfego por esta via.

Comunicação Multimédia

Consta que até meados da década de 2020, 80% dos conteúdos nas redes sociais vão ser produzidos em video, e isto não é nada que não seja muito credível

O instagram quer videos de poucos segundos, no youtube são os videos de maior duração que têm mais saída. Vai sempre ter que haver formas de comunicar diferentes em redes sociais diferentes, mas a tendência para mais multimédia e com exigências de qualidade cada vez maiores é o futuro que se adivinha. Devemos por isso começar, desde já, a dar prioridade aos conteúdos em video, e nunca publicar texto sem uma ou mais imagens.

Estratégia de Marketing

- - - - - - - -

+ + continuo amanhã + +